Ir para o topo da página Ir para o conteúdo principal Ir para o fim da página

Confira este post da GERU

5 dicas para começar 2016 com o pé direito nas finanças

[5 dicas para começar 2016 com o pé direito nas finanças]

Um novo ano é o começo de um novo ciclo em todas as esferas da vida, e a vida financeira não deve ser esquecida nesse momento de renovação. A correria do dia a dia muitas vezes nos impede de acompanhar e controlar as finanças, mas tirar um momento no começo do ano para se organizar é fundamental para ter um ano equilibrado, com menos dívidas e mais objetivos concretos se realizando.

No Brasil, falar sobre finanças ainda é um tabu, seja na rua, em casa ou na sociedade como um todo. A consequência disso é uma dificuldade de administrar as finanças pessoais e uma falta de planejamento não só do presente, mas também do futuro e dificuldades financeiras afetam todas as esferas da vida, como o aspecto emocional e a produtividade no trabalho.

Confira abaixo algumas dicas simples, mas que são muitas vezes esquecidas, para começar 2016 com o pé direito:

1 – Faça uma planilha de orçamento

O primeiro passo para organizar suas finanças pessoais é fazer uma planilha detalhada com um levantamento dos últimos 12 meses, assim como despesas fixas, pagamentos, fatura de cartão de créditos, gastos, parcelamentos, dívidas e também os ganhos, como salários e renda de imóveis. Essa iniciativa ajuda a racionalizar as decisões financeiras e organizar o orçamento mensal. Existem vários aplicativos e sites com planilhas para baixar gratuitamente. Uma das opções mais clássicas e completas é da BM&FBovespa, que são divididas entre Saia do Orçamento, Cuide do Orçamento e Poupe para o Futuro (bit.ly/1dTDAXS). Para os mais modernos, o aplicativo para Smartphones Guia Bolso é uma ótima opção para lançar seus gastos e ter um panorama de suas finanças a fim de se organizar (www.guiabolso.com.br).

2 – Estabeleça metas financeiras

Quando você estabelece um objetivo, é mais fácil poupar dinheiro. É necessário se organizar para que as decisões financeiras estejam de acordo com a meta, seja ela um carro, um imóvel, uma viagem de férias ou até mesmo uma festa de casamento. Analisando o orçamento e sabendo o que quer atingir com uma reorganização, é mais fácil chegar ao objetivo final. Procure acompanhar a sua evolução a cada mês e comemore cada conquista.

3 – Priorize seus gastos

Vivemos em uma sociedade onde o consumo exacerbado é parte do nosso cotidiano, mas é preciso se afastar desse pensamento para conseguir estabilizar as finanças, avaliando a real necessidade daquele gasto. Caso sua renda seja bacana, o momento seja o certo para realizar a compra ou a situação seja uma urgência, vá em frente. Você tem dinheiro para arcar com essa compra? Pesquise bastante e opte por fazer uma dívida mais barata, entendendo quanto isso vai te trazer de retorno, não só financeiro, mas também pessoal.

4 – Não se esqueça de ter reservas

Sem uma poupança para situações emergenciais ou crises, é muito difícil que a você tenha uma vida financeira saudável e equilibrada. Especialistas recomendam poupar de 10 a 20% de sua receita mensal e é importante que isso seja tratado como um compromisso sério. Estabelecer uma meta de poupar o suficiente para cobrir os gastos fixos dos próximos seis meses é uma referência de meta de poupança. Você sabe quanto precisaria? Comece descobrindo qual seria esse valor.

5 – Planeje a quitação das dívidas

Caso você tenha dívidas, é importante procurar o gerente do banco para renegociar. Começar pelas dívidas mais caras com juros mais altos é o indicado nesses casos e fazer um empréstimo pessoal com juros menores pode ser uma boa solução, ficando apenas com uma dívida concentrada. De acordo com uma pesquisa do SPC, o cheque especial e o rotativo do cartão de crédito são alguns dos maiores vilões da inadimplência no Brasil, então minimizar o uso desses recursos é uma ótima estratégia para não fazer mais dívidas.

Para que todas essas dicas sejam seguidas, é necessário ter a disciplina de quem quer começar o ano com uma nova relação com o dinheiro. A tarefa fica mais simples se for dividida com a família, que deve criar o hábito de falar sobre dinheiro, participar das decisões e contribuir para a redução das despesas, seja para pagar dívidas ou para chegar mais rápido à meta financeira estabelecida. Vamos começar?

Autor: GERU

A primeira plataforma Brasileira de empréstimos totalmente online oferecendo juros menores, transparência e satisfação garantida sem sair de casa.

Mais posts

Comentários

Participe da discussão

Posts Relacionados