Ir para o topo da página Ir para o conteúdo principal Ir para o fim da página

Confira este post da GERU

Será que você está superendividado?

[Será que você está superendividado?]

Sem pensar muito, leia e responda as seguintes perguntas:

 

– Suas dívidas ultrapassam 50% de sua renda mensal?

– Você constantemente precisa pedir dinheiro emprestado para amigos e familiares?

– Possui o nome registrado em cadastros do SPC e Serasa?

 

Se você respondeu sim em pelo menos uma delas, você pode estar enquadrado em uma situação de superendividamento.

Na sociedade de consumo em que vivemos, ter algum tipo de dívida, seja de cartão, no banco, algum financiamento, no supermercado ou na loja de departamentos, faz parte do cotidiano dos consumidores, independente da classe social. De acordo com dados da Pesquisa Nacional de Endividamento e Inadimplência do Consumidor, no mês de março, o percentual de famílias inadimplentes chegou a 23,5%, sendo que com 8,3% não possuem condições de pagar suas contas e dívidas. Além do cartão de crédito, que é apontado como o principal motivo das dívidas (77,3%), carnês (16,7%), financiamento de carro (12%) e crédito pessoal (10,8%) são instrumentos mais comuns de endividamento das famílias.

Superendividamento é a impossibilidade global do devedor-pessoa física, consumidor, leigo e de boa-fé, de pagar todas as suas dívidas em um tempo razoável com sua capacidade atual de renda e patrimônio. Normalmente os superendividados têm empréstimos em mais de uma instituição financeira e em produtos bancários diferentes. Portanto, o próximo passo é conversar com os credores para entender as taxas cobradas e renegociar suas dívidas (leia mais sobre o assunto aqui), de preferência com uma linha de crédito mais barata que centralize o pagamento em um fluxo único.

A falta de educação financeira e um planejamento detalhado, a compulsão por compras, a oferta de crédito fácil e até mesmo a publicidade que incentiva o consumo desenfreado, são alguns dos motivos que causam o superendividamento. Se você se enquadra nesse conceito, não precisa se desesperar. Com disciplina e boa orientação, é possível retomar a saúde de sua vida financeira e ver a luz no final do túnel.

O primeiro passo é ter uma visão única de todas as suas dívidas, listando todas as suas despesas como água, luz, telefone, alimentação e transporte. Estabeleça um valor limite por mês que você sabe que vai conseguir pagar somando todas as dívidas. Especialistas aconselham que esse valor não deve ser superior a 30% da sua renda mensal, mesmo que o tempo de quitação seja um pouco maior. Não adianta renegociar e depois começar a dever novamente. Outra medida importante é cancelar seu cartão de crédito e diminuir o limite do cheque especial, se possível, porque esses produtos são alguns dos grandes vilões do orçamento com suas taxas altíssimas.

O PROCON oferece o Programa de Apoio ao Superendividado, assessoria gratuita que oferece a possibilidade de os consumidores renegociarem suas dívidas por meio de uma audiência coletiva com credores, mediada por um conciliador do Centro Judiciário de Solução de Conflitos e Cidadania (CEJUSC). O programa é aberto para pessoas físicas maiores de 18 anos e não há limite de valor para a negociação, contato que não sejam indenizações, dívidas alimentícias, fiscais ou de crédito habitacional. Para mais informações, acesse o site do PROCON (www.procon.sp.gov.br) e clique no link ‘Apoio ao Superendividado’.

Faça uma análise detalhada de suas finanças para identificar onde estão os problemas e corte de vez o mal pela raiz. Avalie se você está mantendo um padrão de vida mais alto do que deveria (moradia, alimentação, transporte ou colégio dos filhos), ou se você não privilegiando gastos e compras desnecessárias que estão desiquilibrando o orçamento familiar.  Veja quais as possíveis soluções para reduzir os gastos mensais, as dívidas, organizando sua vida financeira e ganhando qualidade de vida. Tomar empréstimos e fazer dívidas pode ser muito positivo por impulsionar sua vida e conquistas, mas deve ser feito de maneira bem pensada para que os resultados depois não tirem seu sono.

Autor: GERU

A primeira plataforma Brasileira de empréstimos totalmente online oferecendo juros menores, transparência e satisfação garantida sem sair de casa.

Mais posts

Comentários

Participe da discussão

Posts Relacionados